sábado, 27 de fevereiro de 2010

Minitermicos


Minitermicos (http://www.youtube.com/watch?v=tGhD9vp_yio)  são planadores de competição, com até 1.5m de envergadura e dois canais (veja a regra completa em: http://www.faa.org.ar/downlo(ads/regMinitermicos2010.pdf ). Me interessei muito pela categoria quando comprei uma planador chamado Swing da Kyosho com 1.2m de envergadura. O modelo voava bem mas na primeira prova em que participei ficou claro que apanhava feio dos modelos com 1.5m e feitos para isso. Por esta razão decidi construir meus próprios minitermicos já que não existiam modelos comerciais.

O Sbrubbles foi meu segundo modelo. As asas e a cauda forma cortados a laser e o nariz era de fibra de vidro vendido pelo Edson (procure pelo usuário chamado "harpia" no forum do www.e-voo.com). Foram feitos 20 aviões mas a construção sofisticada da longarina complicava a vida dos menos experientes.

O modelo voava bem, usando o perfil AG 36 pesava 290g ( o que é razoável para esta categoria) e me rendeu o título de uma prova no seu dia de estreia em Itu. O dia estava ótimo para voar com muitas térmicas e pouco vento, lembro de fazer 4 máximos e 4:51 no primeiro vôo.

Depois de muuuuitos vôos o modelo foi doado para um amigo que estava aprendendo a pilotar planadores.

O Sheep foi criado para ser um modelo muito fácil de construir e barato.
A longarina era muito mais simples que a do Sbrubbles sendo composta de varetas de spruce 3x3. Pesando 240g, e 17cm de corda o modelo era bastante lento e rodava térmicas muito fracas.

Contudo, este modelo se provou frágil contra torção, praticamente só travada pela entelagem, e fechou a asa num zoom na única competição que participou.
Um segundo Sheep foi construído e voado. Hoje sua fuselagem é usada como modelo escola para os iniciantes na categoria (veja mais no blog http://eduardoyamin.blogspot.com/ na seção minitermicos).

O modelo ao lado é o Sbrubbles Pro. Usando um perfil customizado e a mesma corda do Sbrubbles esse modelo pesava 310g e possuia a maior razão de planeio que já ví em minitérmicos. Contudo, e já esperado desde o projeto, essa fantástica razão de planeio acontecia em apenas um ângulo de ataque muito específico e assim era muito difícil manter o modelo em máximo rendimento em dias de vento ou em curvas.

Um segundo modelo foi construído e levado para o campeonato nacional na Argentina onde foi doado após a competição à um garoto que me ajudou num resgate depois de um
"pouso" em cima de uma árvore.

Originalmente criado para ser um modelo de construção muito simples e veloz o POP usa uma longarina de fibra de carbono. Cronometrei o tempo de construção da abertura do kit ao modelo entelado e linkado, gastei 8 horas. Acredito que alguém com menos conhecimento neste projeto ou mesmo um iniciante complete a construção em 12 horas.

Hoje o Pop é disponível (versão modificada pelo vendedor) em forma de kit e algumas construções estão disponíveis na internet como em http://www.e-voo.com/forum/viewtopic.php?t=76453&postdays=&postorder=asc&start=0

O meu modelo Pop usado como modelo escola. Se quiser voar esse modelo me avise ou dê uma passada em nosso clube.

O Selig é o meu modelo favorito, usando perfil S4083, corda média de 19cm e pesando 330g esse modelo voa demais. Inspirado num modelo argentino o Selig sobe em térmicas fracas, voa bem com vento e se lança muito alto.

As longarinas são feitas com tubos quadrados de fibra de carbono e resistem a 30Gs de carga ( virtualmente indestrutível). Assim se o vento apertar, lastreia-se o modelo para 400g ou até mesmo 450g e se pode lançar com toda a carga, sem medo que a asa se rompa.

Este é o meu modelo de "todo tempo", com a cauda muito leve (pouca inércia) e estabilidade com margem estática alta (muito estável) o modelo indica térmicas muito bem e requer poucas correções durante o vôo o que maximiza o desempenho . Simplesmente ADORO esse modelo.